UOL - O melhor conteúdo EMAIL ASSINE O GAZETA

A folia está garantida! – Edison Pires


9 de fevereiro de 2020 l Atualizada em - 7 de fevereiro de 2020 às 15:19

Não bastassem as doenças anteriormente erradicadas estarem voltando; as epidemias de dengue e febre amarela; a difícil realidade da Saúde no País, ainda vem o tal do coronavírus para preocupar e assustar a população, justo no Carnaval?

Como todos sabem, os primeiros casos da doença foram registrados na cidade chinesa de Wuhan, epicentro da epidemia e em pouco tempo várias regiões do globo já apresentam casos confirmados e milhares de suspeitos, além de mais de 500 mortes. O pânico é mundial!

Na China, cidades inteiras e alguns distritos estão fechados. Uma delas, Taizhou tem quase 6 milhões de habitantes o equivalente a população da cidade do Rio de Janeiro e mais de duas vezes a de Salvador. Ninguém entra, ninguém sai, como em filmes de ficção científica.

Em todas as áreas interditadas, que englobam quase nove milhões de pessoas, apenas uma pessoa por casa passa a ter o direito de sair às ruas a cada dois dias para comprar produtos de primeira necessidade. O caso é gravíssimo!

Enquanto o mundo se apavora, aqui no Brasil, segundo o Ministério da Saúde, a situação parece controlada e o brasileiro não tem com o que se preocupar. Os 14 casos suspeitos em todo Território Nacional (até o dia 4), são só suspeitos. Outro motivo para que a gente fique tranquilo, é que o vírus não gosta do calor. Azar o dele!

Por esses motivos o Carnaval está garantido sem riscos e a alegria pode rolar solta. Como margem de segurança, todos os portos e aeroportos estão sendo monitorados, segundo nossas autoridades. Olha que bom! Não dá uma sensação de alívio ao saber disso? Ao ouvir essa afirmativa, fico com a impressão de que se algum vírus for detectado tentando entrar ilegalmente em terras tupiniquins, ele será preso e deportado para o seu país de origem, sem chance de sair em algum bloco ou desfilar por avenidas!

A única recomendação que o Ministério da Saúde faz para manter o Carnaval seguro é que durante a muvuca, o agarra-agarra, beijos daqui e dali, naquele aperto onde todo mundo fala cuspindo na cara de todo mundo, o “importante é lavar as mãos e evitar compartilhar objetos, como copo e talheres”. Se depois do Carnaval alguém aparecer infectado pelo coronavírus, é porque não seguiu as recomendações corretamente. Será responsabilidade do folião!

Humor trash à parte, vamos torcer para que o Brasil não venha bater um novo recorde após o Carnaval. Pois o de aumento do número de gravidez em jovens e o aumento de pacientes vítimas de doenças sexualmente transmissíveis, nós já temos.

Publicidade

Comentar reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade