UOL - O melhor conteúdo EMAIL ASSINE O GAZETA

Após estudos Defesa Civil de Araçariguama divulga locais que podem sofrer com inundações e deslizamentos


8 de dezembro de 2019 l Atualizada em - 6 de dezembro de 2019 às 14:50

O bairro Santaella sofre frequentemente às margens do Rio Tietê. Foto: Reprodução/TV TEM

O Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) e a Defesa Civil de Araçariguama realizaram um mapeamento das áreas de risco em todo o município. O verão começa dia 22 deste mês e as chances de temporais aumentam nesta época do ano, conforme disseram especialistas.

Os órgãos visitaram os bairros do município para analisar as probabilidades relacionadas a inundações e deslizamentos de terra em cada um deles. Um dos bairros destacados foi o Santaella, que sempre sofre com inundações, independente do período do ano, e onde atualmente há casas construídas no mesmo nível do Rio Tietê.

Na tarde de quarta-feira, 5, a Defesa Civil Municipal enviou ao GAZETA a relação já concluída dos bairros. Os que poderão sofrer com alagamentos são: Centro, Terra Baixa, Cintra Gordinho e Bom Jardim. Além de alagamentos, outros bairros também poderão enfrentar deslizamentos de terra: Vila Alumínio, Igaveta, Tanque Velho, Bairro da Lagoa, Ronda, Ibaté, Santaella, Caxambu, Viçoso, Meirelles, Mombaça, Novo Tigrão e Aparecidinha. Os demais bairros que compõem o município, não foram listados.

De acordo com o que disse à imprensa a pesquisadora do IPT, Alessandra Corsi, o último levantamento havia sido feito em 2004 e o documento é importante para ajudar a Defesa Civil a fazer melhorias e atuar na redução de riscos.

A partir destes resultados, segundo ela, serão realizadas ações educativas com os moradores e a retirada preventiva deles do local de acordo com a meteorologia.

Sobre o Santaella, a recomendação do IPT é a de que os moradores fiquem atentos ao nível do rio e à quantidade de chuvas; não ocupem cômodos das casas situados às margens do rio e, se possível, fiquem em residências de parentes durante períodos de temporais.

A situação fica ainda mais complicada quando não há uma efetiva participação e colaboração por parte dos moradores. A pesquisadora do IPT lembra o quanto isso é preocupante. “Algumas pessoas que já haviam sido retiradas das casas aqui no Santaella, retornaram ao bairro piorando a situação”, informou.

Em contato com a Defesa Civil de Araçariguama, a reportagem foi informada que o próximo passo é a realização do cadastramento dos moradores dessas áreas de risco. Além também de equipes que estão sendo divididas para um trabalho de orientação pelos bairros.

Publicidade

Comentar reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade