UOL - O melhor conteúdo EMAIL ASSINE O GAZETA

Chevrolet anuncia importação do segundo lote do Bolt EV


4 de fevereiro de 2020 l Atualizada em - 4 de fevereiro de 2020 às 11:57

Após comercializar todas as 50 unidades de pré-venda do Bolt EV logo no lançamento, a Chevrolet informa que já está sendo produzido o segundo lote do seu modelo 100% elétrico. Os carros começam a chegar às 26 concessionárias credenciadas da marca a partir de fevereiro.

O Bolt EV é um crossover que se destaca pelo design inteligente, por ser divertido de guiar e pelo alto nível de equipamentos. Além disso, é um veículo zero emissão, que o posiciona tecnologicamente à frente de híbridos e de automóveis puramente a combustão.

A versão única do Bolt EV trazida para o mercado brasileiro é a mais sofisticada, Premier, já equipada com as baterias de nova geração, que garantem autonomia média de até 416 quilômetros, de acordo com o ciclo norte-americano EPA.

O novo crossover da Chevrolet oferece o alto torque característico dos motores elétricos. Arrancadas de 0 a 100 km/h podem ser feitas em aproximadamente 7 segundos. Isto porque o conjunto propulsor entrega 203 cv de potência e 36,7 kgfm de torque em qualquer faixa de rotação. Retomadas também são igualmente vigorosas, elevando a segurança em ultrapassagens.

Segurança, aliás, é um dos pilares do Bolt EV. São 10 airbags, assistente de permanência na faixa, alerta de ponto cego, aviso de tráfego traseiro cruzado, alerta de colisão frontal e sistema de frenagem automática com detecção de pedestres para mitigar acidentes.

Outro equipamento interessante são as câmeras de alta definição para visão 360 graus que auxiliam manobras de estacionamento e ficam localizadas nas extremidades do veículo, melhorando a visibilidade. O veículo conta com uma tecnologia que transforma o espelho retrovisor central numa tela que projeta imagens da parte traseira em maior ângulo e sem obstruções.

Conheça as principais tecnologias disponíveis no veículo: Modo de direção “One Pedal” com sistema regenerativo dos freios; Espelho retrovisor central por câmera; Assistente de estacionamento com visão 360 graus; Painel digital customizável com tela de 8 polegadas; MyLink com tela de 10,2 polegadas compatível com Apple CarPlay e Android Auto; Sistema de som de alta definição Bose; Faróis com tecnologia HID e luzes de condução diurna em LED; Lanternas traseiras em LED; Sensor crepuscular; Pneus autovedantes com rodas aro 17; Assoalho plano com fechamento aerodinâmico; Sistema de recarga de smartphone por indução magnética (sem fio); 10 airbags; Assistente de permanência na faixa; Alerta de ponto cego com sensor de aproximação repentina; Aviso de tráfego traseiro cruzado; Alerta de colisão frontal com detecção de pedestres; Frenagem automática em baixa velocidade para mitigar acidentes; Bancos de couro e volante com aquecimento; Sistema de partida do motor por controle remoto; Freio de estacionamento elétrico com acionamento por botão.

 

Buggy elétrico a partir de R$ 99 mil fica longe da realidade do consumidor brasileiro

O modelo até que é bonitinho. Bem esportivo e com grande apelo para aventuras e turismo em praias ou estradas de terra que não exijam a atuação de um offroad. Por ser totalmente elétrico, tem um apelo ainda mais especial. Porém, o preço é o seu maior inimigo. O modelo mais simples, que tem autonomia para 150 quilômetros, tem preço sugerido de R$ 99 mil. É difícil de emplacar!

Startup paranaense eION criou um veículo elétrico a ser produzido em série no Brasil. Após dois anos de desenvolvimento e testes com protótipos, eis o Buggy Power, um veículo para atender finalidades recreativas e turísticas.

Totalmente elétrico, as células da bateria de íons de lítio são fabricadas na China e montadas no Brasil. Elas vão instaladas no assoalho do veículo para diminuir o centro de gravidade e beneficiar a condução. De acordo com Milton, o conjunto pode suportar até 4.500 ciclos (carga e recarga) e o tempo para “encher o tanque” varia entre duas e cinco horas, dependendo da fonte da energia (110V ou 220V). O plugue é residencial de três pinos (20A), porém, pode receber a entrada do tipo 2 para ser recarregado em estações de carregamento encontradas em shoppings e supermercados, por exemplo.

Estão disponíveis as versões Econômica, Padrão e Luxo, com preços a partir de R$ 99.000, dependendo da versão e da quantidade. A diferença entre elas está, principalmente na autonomia. A da configuração Econômica é de até 150 km.

O motor movido a eletricidade produz 23 kW e um torque máxima de 61 kgfm permitindo acelerar de 0 a 80 km/h em 10,9 segundos. A tração é traseira. Contudo, a eION planeja adicionar a tração nas quatro rodas. Já a configuração de topo Luxo (R$ 239.000) traz um motor elétrico de 66 kW e oferece uma autonomia de até 500 km.

O Buggy Power pode receber até cinco ocupantes e possui 3,480 m de comprimento, 1,855 m de largura e 1,480 m de altura. O entre-eixos é de 2,18 m, enquanto o vão livre em relação ao solo é de 200 mm. Os pneus possuem medidas 235/75 R15 na frente e 31×10 R15 atrás.

 

DICA – Especial Motos: Como escolher um capacete ideal?

É cada vez maior o número de motocicletas e scooters rodando por cidades e estradas. Economia e maior agilidade no trânsito são alguns dos apelos que mantém esse mercado cada vez mais aquecido. Mas, ao adquirir uma moto o proprietário deve estar atento também à sua segurança. E o primeiro item que vem à cabeça, claro, é o capacete!

Então, como escolher o modelo ideal?

Há muitos modelos no mercado. O melhor tipo de capacete dependerá do uso que você faz da motocicleta e suas prioridades. O modelo mais seguro seja para ruas ou estradas é o todo fechado. Pode haver o desconforto do calor, mas ao se envolver num acidente, com certeza, vale mais a proteção do que o conforto.

E qual é o tamanho ideal? Você deve escolher um modelo que se adeque bem ao tamanho e formato da sua cabeça. Pilotar uma moto com o equipamento muito largo ou muito apertado é algo que deve ser evitado. Quando ele está muito folgado, corre o risco de sair da cabeça. Já quando está apertado demais, a viagem pode se tornar desconfortável. Embora seja uma dúvida comum saber o tamanho ideal, principalmente para aqueles que estão adquirindo seu primeiro capacete, descobrir essa medida é uma tarefa bastante simples. Meça a cabeça com uma fita métrica passando pelas pontas das orelhas e sobrancelhas. O número obtido será o número ideal do seu capacete.

Outro fator de grande importância na hora de escolher o capacete ideal, é o peso. Prefira sempre aqueles que têm aproximadamente 1.4000 gramas. Porém, você ainda pode optar pelos de peso próximo a 1.800 gramas. Capacetes muito pesados podem ser desconfortáveis e ainda causarem dor cervical.

Para manter a higiene do equipamento, opte por aquele que possui forro. Assim, fica mais fácil lavá-los, já que o capacete é um ambiente úmido e quente, propício para microrganismos e ácaros.

 

Publicidade

Comentar reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade