EMAIL ASSINE O GAZETA

Enchente: Prefeitura decreta situação de emergência no Cintra Gordinho e moradores protocolam novo requerimento


8 de janeiro de 2020 l Atualizada em - 8 de janeiro de 2020 às 17:45

No fim da manhã desta quarta-feira, 8, o Prefeito de Araçariguama João Batista Damy, Joca, decretou situação de emergência no Bairro Cintra Gordinho, após o local sofrer novamente com alagamentos, desta vez ocorrido com as fortes chuvas do inicio da noite desta terça-feira, 7.

Com o anúncio da medida, o Prefeito convocou uma reunião com secretários e assessores para decidir as medidas e ações do Plano Emergencial do bairro.

O trecho alagado, da semana do Natal até ontem, 7, foi atingido pelo menos três vezes pelo transbordamento do Ribeirão dos Macacos, cujas as águas invadiram casas e interditaram ruas.

A Rua José Manoel Rodrigues, principal via de acesso ao bairro, teve que ser interditada pela Defesa Civil e Guarda Municipal logo após o transbordamento do ribeirão. O trânsito foi desviado para o Parque da Mina e só foi liberado na madrugada desta quarta-feira. Porém, motoristas reclamaram da condição em que se encontrava o desvio, principalmente no trecho de subida que estava tomado por barro e buracos.

A reportagem esteve no local nesta quarta-feira e conversou com alguns moradores. Em determinado imóvel, a água chegou atingir mais de um metro de altura, causando grandes prejuízos materiais e financeiros, onde foram atingidos móveis, roupas, utensílios domésticos e até equipamentos eletrônicos. A Defesa Civil Municipal também esteve no local durante toda à tarde.

No dia 6 de dezembro de 2019, o jornal GAZETA veiculou matéria relatando a preocupação dos moradores com a falta de limpeza no leito do ribeirão. A reportagem trazia uma foto onde era possível observar que a calha de escoamento das águas do ribeirão estava tomada por mato e bastante assoreada.

Moradores procuraram a reportagem e apresentaram documento que seguia para ser protocolado na Prefeitura, onde pediam providências sobre a situação. “Nós moradores do bairro em dezembro já havíamos protocolada a necessidade de ocorrer o desassoreamento do córrego. Como não houve nenhuma resposta, estamos nos unindo e vamos protocolar novamente, porém com muitas assinaturas”, informou a moradora Dra. Flávia Castro, apresentando o documento que conta com a participação de mais de cem pessoas.

Na tarde desta quarta-feira, 8, a Defesa Civil do Estado de São Paulo informou ao GAZETA que até aquele momento não havia recebido pedido de homologação de situação de emergência decretada pela Prefeitura, e, que caso necessite de apoio do Estado ou da União, o município pode solicitar respectivamente a homologação estadual ou reconhecimento federal da situação decretada.

Publicidade

Comentar reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade