UOL - O melhor conteúdo EMAIL ASSINE O GAZETA

Espaço Rosa para pacientes oncológicos é inaugurado em Araçariguama


14 de dezembro de 2019 l Atualizada em - 13 de dezembro de 2019 às 16:03

Receber um diagnóstico de câncer não é fácil para ninguém. Infelizmente, essa é uma doença que ainda assusta muito e, quanto mais informação obtivermos, melhor serão as chances de cura ou de uma melhora na qualidade de vida.

No Brasil e no mundo existe uma ONG conhecida como Casa Rosa ou Pink House, um lugar específico de orientação e direção para pacientes sobre quais passos terão que ser tomados logo após o recebimento do diagnóstico.

A Casa Rosa é reconhecida como uma forma de apoio e esperança para pacientes e suas famílias enfrentarem juntos essa jornada, pois a descoberta da doença pode, a princípio, gerar um certo desespero e isolamento.

Enquanto a Casa Rosa não chega na cidade, Lusmar Cavalcante, embaixadora do Instituto Educar e Viver em Araçariguama, resolveu abrir as portas da sua própria casa, para que as pessoas saibam que existe um local de apoio e que muitos serviços como agendamento de exames, acompanhamento em consultas, doações de perucas e lenços, prótese mamária para uso externo e visitas domiciliares podem ser efetuados.

Para este mês, graças a uma parceria com um laboratório de São Paulo, uma série de exames podem ser agendados. Confira: – biópsia de tireóide, – biópsia de mama, – colcoscopia, – ecofetal, – ultrassonografia de mama, – abdômen total e de fístula para pacientes que usam hemodiálise, ultrassonografia das articulações, transvaginal, obstétrico de 20 a 30 semanas e pélvico abdominal. Através de sua página nas redes sociais, Lusmar pretender divulgar mensalmente a agenda dos exames oferecidos.

Segundo ela, o apoio as mulheres ainda será ampliado.  Não somente a nível oncológico mas, também às vítimas de violência doméstica e adolescentes com gravidez precoce.  O ponta pé inicial foi dado no último dia 5 de dezembro, dia Internacional do Voluntário, que teve a participação de uma grande parceira, Cláudia Franco, gerente da empresa CicloFemini.

Os interessados podem ligar para a Lusmar no número 11 99958 5815 e se informar dos serviços prestados tanto na área física como emocional, pois o local conta com o apoio de voluntários na área de psicologia, nutricionista e advogado, para esclarecer os direitos do paciente.

O grande apelo é para que empresários da região e pessoas interessadas em ajudar abracem a causa. Uma pessoa não consegue fazer tudo sozinha, mas, se a comunidade se envolver com doações e até mesmo ceder um espaço para que a Casa Rosa chegue na cidade, muitos terão a chance de não sofrerem ou até mesmo morrer nas filas de espera.

Existe um plano para que, logo no início do ano que vem, um megabazar seja realizado em parceria com a CicloFemini, assim como uma vaquinha online, para que doações de cestas básicas, fraldas geriátricas, cabelos e mechas, distribuição de kits de higiene para pacientes sejam arrecadados.

“É de extrema importância dar apoio às mulheres oncológicas, às que sofrem violência doméstica e adolescentes grávidas. Elas, infelizmente, encontram muitas dificuldades para enfrentamento de tão cruel realidade. Nós estamos aqui para amenizar a dor, encontrar uma forma de solucionar o problema com mais agilidade.  Mexeu com uma mexeu com todas. Juntas somos mais fortes”, acrescentou Lusmar.

O caminho da cura começa com a conexão entre pessoas e entidades.  Ajude- nos a abraçar as famílias que tanto precisam desse conforto nesse momento. Vamos incentivá-las a celebrar a vida.

Doe.  Voluntarie-se.  Essa causa não é só da Lusmar ou minha, é  de todos nós.

Fonte: Tatiana Munhoz

Publicidade

Comentar reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade