UOL - O melhor conteúdo EMAIL ASSINE O GAZETA

Os animais ensinam os humanos – Tatiana Munhoz


17 de novembro de 2019 l Atualizada em - 14 de novembro de 2019 às 11:38

No último domingo, a certa altura, me dei conta que já não sabia mais o que deveria assistir ou ler. Notícias verdadeiras e fakes, comentários coerentes ou sem cabimento, tudo relacionado à recente decisão do STF, que, sem dúvidas, deixou muitos de nós, de certa forma, perplexos.
Trocando de canal parei no animal planet. Confesso que foi a melhor decisão daquele dia, referente a me manter informada. Os animais, embora lindos em sua diversidade, cada um com sua característica física própria, condicionados para diferentes terrenos de sobrevivência, são muito mais inteligentes do que achamos.
 
Seja avaliando suas técnicas de caça ou no cuidado com os filhotes, os animais nos ensinam a concentrar no momento. Não são distraídos com pensamentos de passado ou futuro, como nós fazemos. A preocupação deles está em encontrar comida, abrigo, procriar e repassar os ensinamentos aos seus herdeiros, o que deveria acontecer conosco, ao invés de concentramos nossas energias na ganância, exuberância e ignorância.
 
Os animais nos ensinam a sermos líderes, característica muito marcante, principalmente nos selvagens, aqueles que não são domesticados pelos humanos. Através de seus comandos e orientações, sejam por ruídos ou posturas corporais, atacam a presa sem dar- lhe muita chance de escape.
Penso que precisaríamos agir como eles. Somos invadidos por tantos “conselhos humanos” de “couching” sobre como ter um casamento estável, como educar filhos brilhantes, como ser um profissional admirado, que, às vezes, é necessário você voltar à sua origem e ter o instinto de uma leoa sobre o que você acredita para a sua individualidade, não deixando a comparação e a imagem “perfeita” da grama do vizinho fazer de você uma presa fácil.
 
Geralmente um grupo de animais da mesma espécie é guiado ou orientado pelos integrantes mais velhos. Devemos, então, o mais rápido possível, resgatar nessa nova geração de adolescentes e crianças, o respeito e a admiração pelos nossos pais e avós, o que nos remete ao comportamento de observância à preservação da espécie, em nosso caso, do legado familiar que gerará um comportamento social.
Animais possuem instintos que são utilizados a cada situação de perigo ou urgência. Alguns desses instintos são aprendidos, outros já lhes são naturais. Diferente de nós, nossos instintos são chamados de reflexos. A diferença entre nós e os animais é que podemos aperfeiçoar nossos reflexos e comportamentos através de nossas experiências e aprendizados, o que é uma vantagem sobre o instinto. Somos mais flexíveis.
 
Um comportamento humano pode ser mudado ou interferido se as condições em que os circundam se transformam também. Não somos os únicos seres vivos a exercer com excelência a condução de uma família ou uma comunidade. Os animais possuem inúmeras habilidades de como fazê-la também, inclusive, eles também dão o que não tem, para salvar os seus.
 
A diferença é que os animais matam somente para sustento. Já nós, mais sofisticados intelectualmente, matamos com nossas palavras e nossas atitudes indiscriminadamente.
Publicidade

Comentar reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade