UOL - O melhor conteúdo EMAIL ASSINE O GAZETA

Pele lisa e livre de estrias é possível


23 de julho de 2019 l Atualizada em - 23 de julho de 2019 às 13:55

Pele lisinha, sem manchas e sem estrias é o desejo de todas as mulheres. Uma dica para se conseguir isso é manter o peso corporal regulado e a pele sempre hidratada optando por sabonetes e cremes especiais / GB Imagem

Todas as mulheres sonham com pele lisinha, sem manchas e sem estrias que costumam ser bem resistentes ao tratamento. Mas, por que as estrias aparecem?

As estrias surgem quando ocorre o rompimento das fibras responsáveis pela elasticidade da pele, ou seja, as fibras colágenas. Essas fibras têm um formato de três hélices contorcidas em um mesmo eixo, e se encontram na segunda camada da pele, a derme. Elas se rompem por diversos motivos: aumento de peso brusco, seja em uma gravidez ou pelo “efeito sanfona”; durante a fase da puberdade, no crescimento acelerado; por causa de alguns medicamentos, como é o caso do uso de corticoides, explicam os médicos.

Em alguns casos elas podem ser prevenidas, evitando o ganho de peso e aumento muscular rápido, assim as fibras têm uma menor chance de romper e dar origem a estrias. Em outros casos isso não é possível de ser evitado, como no crescimento rápido dos adolescentes, ou na distensão da barriga da gestante. Os cuidados básicos com a pele também diminuem a chance do seu aparecimento. Nesse caso, a hidratação é a melhor aliada, pois uma pele mais hidratada suporta mais os efeitos da distensão.

A alimentação é muito importante na prevenção, deve ser pobre em doces e gorduras, rica em vitamina C, e ingestão de pelo menos 8 copos de água por dia, tudo para ajudar na produção de colágeno, com a finalidade de melhorar a elasticidade da pele. Os exercícios físicos são também importantes, pois além de diminuir o acúmulo de gordura, o músculo estimulado propicia uma melhor circulação local, tanto sanguínea como também linfáticas. Uma circulação linfática eficiente faz com que tenha menos inchaço e, por conseguinte, menor distensão.

Para manter a elasticidade da pele e ativar a produção de colágeno dê preferência aos cremes formulados à base de óleo de amêndoa, Aloe vera, hamamelis, ureia e acido lático / GB Imagem

Para se combater as estrias, além das orientações acima, é preciso manter a pele bem hidratada, se possível hidratar pelo menos 2 vezes ao dia. Cremes a base de óleo de amêndoa, Aloe vera, hamamelis, ureia, acido lático, auxiliam no processo de hidratação e regeneração celular. A boa hidratação permite maior distensão sem arrebentar a pele, o que daria lugar as estrias.

As estrias são lesões irreversíveis e, portanto, não existe um tratamento que faça a pele voltar ao que era antes. Os tratamentos visam melhorar o aspecto das lesões, estimulando a formação de tecido colágeno subjacente e tornando-as mais semelhantes à pele ao redor.

Lembrando que é preciso à orientação médica de dermatologista para o tratamento das estrias e ter cuidado com os “opções milagrosas” que o mercado da estética às vezes oferece, é bom saber que o problema tem tratamento; se você sofre por causa de estrias, saiba quais são algumas de suas opções:

Microdermoabrasão –  consiste em remover as células mortas da camada mais externa da pele, através de um equipamento que faz uma esfoliação das lesões, estimulando a formação de colágeno e elastina na pele, tratando progressivamente as estrias.

Intradermoterapia – consiste em injeções de substancia na derme, através de uma agulha de 4 mm, visando estimular novo colágeno e melhorar a circulação do local.

Peeling químico – Aplicação de ácidos, que promovem uma descamação local e produção de novas fibras de colágeno, e uma retração das estrias.

Radiofrequência (Accent) – estimula o colágeno e promove uma reorganização da trama elástica, melhorando o aspecto das estrias.

CO2 fracionado – laser que melhora muito a qualidade da pele e atenua as estrias, podendo ser feitas sessões mensais, é um tratamento muito promissor para as estrias.

Infravermelho mais ácido retinóico – Um aparelho dispara os raios infravermelhos que estimulam a produção das células formadoras do colágeno e elastina. Depois é feita a aplicação do ácido retinóico que aumenta as fibras de sustentação da pele.

Luz intensa pulsada mais ácido retinóico – a luz pulsada serve para regenerar as estruturas da pele e trata os vasos dilatados, responsáveis pela aparência avermelhada da lesão. Depois é aplicado o ácido retinóico.

Vitamina C mais luz intensa pulsada – A Vitamina C é injetada na camada superficial da pele. Depois vem a ação da luz intensa pulsada que ajudará no afinamento das linhas.

Publicidade

Comentar reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade