EMAIL ASSINE O GAZETA

Por pandemia, aniversário de Emancipação fica sem eventos


16 de maio de 2020 l Atualizada em - 15 de maio de 2020 às 15:03

Adesivo utilizado para divulgar o plebiscito pela Emancipação

A passagem dos 28 anos da Emancipação Política/Administrativa de Araçariguama, que ocorre na 3ª feira, dia 19 de maio, será bem diferente dos anos anteriores, em razão da pandemia da Covid-19. Sem programação festiva ou cívica divulgada por órgãos municipais, a data deve quase passar em branco.

Será a primeira vez que Araçariguama deixará de realizar qualquer tipo de evento alusivo a essa data, que oficializou o desejo do cidadão araçariguamense a iniciar sua caminhada independente do município-mãe que é a cidade de São Roque.

Em outras ocasiões a data era comemorada com desfile em praça pública das escolas municipais; eventos esportivos como a Copa EMPAA e prova pedestre; bailes; inaugurações; shows diversos; Sessão Solene na Câmara Municipal, entre outros.

Porém, agora, a realidade é outra. As normas de combate à proliferação do novo coronavírus que proíbem aglomerações e eventos públicos e, também, em respeito ao momento difícil e de dor que muitas famílias estão passando, qualquer tipo de festividade fica inviável.

Ao araçariguamense cabe não esquecer data tão significativa e, a seu modo, parabenizar a cidade por mais um aniversário de Emancipação.

19 de Maio

Dia do SIM registrou 95% do eleitorado

Por que o aniversário de Emancipação é comemorado no dia 19 de Maio?

Essa data marca um dos momentos mais importantes da luta pela emancipação do então distrito de São Roque. Por determinação da Justiça, os eleitores locais deveriam participar de um plebiscito para, de maneira formal, expressarem seu desejo de ver Araçariguama um município.

E assim, no dia 19 de Maio do ano de 1991, a cidade se mobilizou e foi às urnas votar pela emancipação. As ruas centrais ficaram tomadas e a Praça Albertino de Castro Prestes concentrou milhares de pessoas que passaram o dia na expectativa pelo resultado da votação.

A votação ocorreu em cédulas de papel, nas dependências da então E.E.P.S.G. “Humberto Victorazzo”

As 17h00 a votação foi encerrada e as urnas conduzidas até o Ginásio do Grêmio União Sanroquense, em São Roque, onde ocorreu a apuração dos votos. No meio da noite foi anunciado o resultado. O povo de Araçariguama votou pela emancipação. Cerca de 95% dos eleitores optaram pelo sim. Essa data também ficou conhecida como o Dia do SIM.

Durante toda a noite houve grande comemoração. Carreata, buzinaço e muita festa, com direito a churrasco em praça pública e muita alegria.

Em 19 de Maio de 1991, os emancipadores realizaram o sonho de liberdade e conquistaram a vitória de sua empreitada. A partir dessa data Araçariguama começou a escrever a sua própria História!

1ª composição dos Poderes Executivo e Legislativo de Araçariguama, que assumiu em 1/1/1993. Da esquerda para direita: Francisco Martins Pereira, João Antonio da Silva – “João Côco”, Ignácio Egydio Martins, José Pereira de Oliveira, Prefeito Severino Alves Filho – “Paraíba”, José Ap. Félix – “Tatú”, Vice-prefeito Belarmino Alves Pinto – “Belo”, Ana Ap. Castro Marchiori, Mauro Bonifácio, Oswaldo de Deus Corrêa e Orlando José de Moraes

Quase desconhecida

Na manhã de ontem o jornal GAZETA procurou saber se os moradores conhecem essa parte da história do município e o motivo da próxima 3ª feira, 19 de maio, ser feriado municipal. A reportagem foi às ruas e ouviu 70 pessoas entre moradores da região central e bairros próximos.

Duas perguntas foram apresentadas aos entrevistados: “Você sabe quando é comemorada a Emancipação de Araçariguama?”, e, “O que é comemorado no dia 19 de Maio?”.   73% das pessoas não souberam responder. Cerca de 18,6% tinham conhecimento da data, e apenas 8,4% dos entrevistados, sabiam sobre a data e relataram algo sobre a emancipação.

O comerciante Eneias Oliveira contou que integrou a diretoria da AMDA (Associação dos Moradores de Araçariguama), entidade responsável pela organização do movimento: “Me lembro que existiram processos e depois o plebiscito com a vitória do SIM”, recordou. Já para a professora Cristina Dimitrios, a data jamais será esquecida e tem um motivo especial: “Nunca vou esquecer-me do dia 19 de maio de 1991, pois foi quando cheguei aqui na cidade, estava tendo muita festa e foi muito marcante para mim”, contou.

Joice Gonçalves, educadora física, disse que era pequena, mas que lembra do dia como se fosse hoje: “Me lembro que fomos todos até o Grêmio para acompanhar a apuração dos votos e depois que saiu o resultado, fizeram uma carreata. Meus pais votaram”, relembrou. Já a comerciante Marli Ap. Silva, também não deixou de ressaltar a quantidade de terras que Araçariguama detinha: “Araçariguama sempre foi muito grande e não poderia somente ser um distrito de São Roque. Com isso, o povo não aceitava e foi feito todo o movimento”, explicou.

Publicidade

Comentar reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade