UOL - O melhor conteúdo EMAIL ASSINE O GAZETA

Qual é a voz que temos ouvido? – Tatiana Munhoz


2 de fevereiro de 2020 l Atualizada em - 31 de janeiro de 2020 às 11:39

Vivemos em um mundo esquisito. Todos os dias estamos cercados do barulho de vozes que ecoam de todas as direções.  Seja através de familiares, colegas de trabalho, vizinhos, televisão, trânsito e etc.  Seja qual for a sua origem, existem horas que procuramos aquele “sossego ou quietude” para nos realinharmos.  O problema é que, quando atingimos esse “tempo” , vozes internas começam a nos questionar, julgar e, até mesmo, nos colocar contra a parede.  Seria a nossa consciência ou uma voz disfarçadamente destrutiva que nos cerca em quase todos os nossos pensamentos corriqueiros?

De repente nos vemos num meio de um diálogo; isso mesmo, um diálogo mesmo estando sozinhos, em um processo crítico de diferenciar as vozes e suas entonações.  Nosso objetivo, a partir daí, é de ser criterioso, a ponto de distinguir o que causaria um impacto negativo ou o contrário em nossas decisões, de acordo com essas vozes.

Introspecção, intuição, ego, subconsciência, não sei como chamar as vozes que penetram nossa mente. Quando atingimos esse estágio em nossas vidas de batalha dos pensamentos ou “momento avião”, onde deixamos tudo passar, seria esse um momento de busca espiritual, deliberação ou até mesmo, empoderamento?

Em muitas ocasiões o que mais queremos é confiar na nossa intuição, seguir ela como autoridade e guia. Mas, será que ela é clara o suficiente para não ser confrontada por outras?

Quem nos dera ter uma estrela do norte nos guiando. Ela é a estrela mais brilhante da constelação da Ursa Menor, distante cerca de 434 anos luz da Terra.  Por séculos, ela vem sendo utilizada para nortear os navegantes.  A escritora americana Nancy Cobb diz assim: “ uma sabedoria tão constante quanto a Estrela do Norte brilha dentro de nós. Está sempre presente, esperando ser tocada, esperando nos guiar, nos aconselhar.  É como se fosse um senso inato de que sabemos do que é certo, e é para lá que vamos recuperar nossa sanidade e recuperar nosso equilíbrio”.

Qual é a resposta para nossos questionamentos internos? Isso é real ou imaginário? Como garantir que tudo siga de forma racional, lógica e que ainda seja satisfatório?

Uma coisa eu posso te garantir. Se você também escuta vozes, você é perfeitamente normal. Quando comunicamos conosco, nossa vida torna-se mais empolgante. O confronto nos revela o lugar onde estamos e aonde queremos chegar. Com isso, conseguimos resolver problemas com antecipação, evitando, assim, um desagrado futuro.

Lembre-se: conhecimento é poder.

Publicidade

Comentar reportagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade